Arquivos Brasil — Brumado VerdadeBrumado Verdade Arquivos Brasil — Brumado Verdade
MENU
Seja Bem-vindo! Hoje é Quarta, 28 de Junho de 2017
Publicidade:
Publicidade:

Acessar
BLOG antigo


Nosso Whatsapp
77 99837-3618

EUA suspendem importações de carne bovina brasileira in natura

23 junho 2017 | 8:31

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue, anunciou nesta quinta-feira (22) a suspensão de todas as importações de carne bovina in natura do Brasil, por causa de preocupações recorrentes em relação à segurança do produto destinado ao mercado norte-americano. A suspensão ficará em vigor até que o Ministério da Agricultura do Brasil adote medidas que o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) considere satisfatórias. Desde março, o Serviço de Segurança Alimentar e Inspeção (FSIS) do USDA inspecionou 100% da carne in natura vinda do Brasil, e rejeitou 11% desses produtos. O número é bem maior do que a taxa média de rejeição de 1% para a carne importada de outros países, disse o USDA. Desde o início das inspeções mais rigorosas, foram rejeitados 106 lotes de produtos de carne bovina do Brasil, devido a preocupações de saúde pública, condições sanitárias e questões de saúde animal. O USDA ressaltou que nenhum dos lotes rejeitados entrou no mercado norte-americano. O governo brasileiro já tinha anunciado na terça-feira a suspensão das exportações da proteína animal de cinco frigoríficos brasileiros para os EUA. A decisão anunciada hoje pelo USDA se sobrepõe à decisão do governo brasileiro. “Garantir a segurança da oferta de alimentos de nossa nação é uma de nossas missões cruciais, e nos a levamos muito a sério”, disse Perdue em comunicado. “Embora o comércio internacional seja uma parte importante do que fazemos no USDA, e o Brasil seja um antigo parceiro, minha maior prioridade é proteger os consumidores americanos. É isso que fizemos ao proibir a importação de carne bovina in natura do Brasil.”

Tags:

Família de Gilmar Mendes é fornecedora de gados para JBS, diz jornal

27 maio 2017 | 15:58

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A família do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), é fornecedora de gados para a JBS. A empresa é uma das maiores processadoras de carne do mundo e celebrou recentemente acordo de delação, homologado pela Corte. De acordo com a Folha, o próprio Gilmar informou sobre a relação de sua família com a JBS. “Minha família é de agropecuaristas e vendemos gado para JBS lá [Mato Grosso]. (…) Eu já havia encontrado [o Joesley Batista, sócio da empresa] em outras ocasiões. A JBS tem um grande frigorífico em Diamantino [MT], minha terra, implantado pelo grupo Bertin no governo Blairo [Maggi, quando governador do estado entre 2003 e 2010]”, disse Gilmar. O ministro detalhou que é um irmão o responsável por negociar valores com a empresa. Mas a relação comercial não é motivo para ele se declarar impedido de participar de votações futuras referentes à empresa no STF. As informações foram passadas ao ser questionado sobre um encontro com Joesley Batista neste ano. A reunião ocorreu, segundo Gilmar,a pedido do advogado Francisco de Assis e Silva, um dos delatores da empresa. Joesley apareceu de surpresa no encontro, que tratou de questão referente ao setor de agronegócio, e ocorreu no IDP, escola de Direito em Brasília da qual o ministro é sócio. Gilmar Mendes disse que o encontro aconteceu depois de 30 de março, quando o tribunal julgou o Funrural, fundo abastecido com contribuições de produtores rurais à Previdência. Os ruralistas questionavam o pagamento ao fundo na Justiça e o STF manteve a obrigatoriedade. Gilmar afirmou que votou contra os interesses da JBS. O ministro ainda disse que Joesley pediu também para encontrar uma fórmula que permitisse o alongamento da contribuição. 

Tags:

Temer sanciona lei que cria documento único de identificação no Brasil

12 maio 2017 | 0:18

Foto: José Cruz / Agência Brasil

Foto: José Cruz / Agência Brasil

O presidente Michel Temer sancionou nesta quinta-feira (11) a lei que cria a Identificação Civil Nacional, que propõe unificar em um só documento RG, Título de Eleitor, CPF e outros registros. De acordo com a Folha de S. Paulo, o sistema deve começar a funcionar a partir de 2022, quando a Justiça Eleitoral deve completar o cadastro biométrico da população. A proposta tramitava no Congresso Nacional desde 2015 e seguiu para aprovação presidencial em abril, depois de aprovada no Senado. O novo documento terá a primeira via emitida gratuitamente. Ele vai ter o CPF como base para identificação e será associado ao cadastro biométrico.

Carteira de habilitação passa a ter código QR-Code para evitar fraudes

10 maio 2017 | 0:44

Foto: José Cruz / Agência Brasil

Foto: José Cruz / Agência Brasil

As Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) emitidas a partir deste mês de maio vão passar a contar com um QR-Code. O novo recurso foi apresentado nesta terça-feira (09) pelo Ministério das Cidades juntamente com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). De acordo com o governo, a mudança visa evitar falsificações e fraudes na CNH. O QR-Code virá impresso no verso inferior da habilitação. O código dará acesso às informações do Registro Nacional de Condutores Habilitados (Renach) e pode ser lido com a câmera de tablets ou smartphones por meio do aplicativo Lince, disponível para download nas lojas de aplicativo. “A CNH é um dos principais documentos de identificação do cidadão, que chega a substituir até mesmo a identidade e o CPF. A tecnologia do QR-Code inserida na carteira de habilitação permite que todo cidadão possa verificar a validade do documento, inclusive estabelecimentos comerciais”, relatou em nota o diretor do Denatran, Elmer Vicenzi.

Doria se reúne com Arnold Schwarzenegger em SP

25 abril 2017 | 14:02

 Ator representa ONG que trabalha a questão da sustentabilidade nas cidades. No domingo, Schwarzenegger pedalou na ciclovia da Berrini até o Parque do Povo. Foto: Divulgação

Ator representa ONG que trabalha a questão da sustentabilidade nas cidades. Foto: Divulgação

O prefeito João Doria (PSDB) reuniu-se na manhã desta segunda-feira (24) com o ator Arnold Schwarzenegger em seu gabinete, em São Paulo. Schwarzenegger é presidente fundador da ONG de proteção ambiental R20, e foi com outros executivos da instituição que promove a questão da sustentabilidade nas cidades para o encontro no Centro de São Paulo. Os dois posaram para foto tendo ao fundo o quadro que o Doria ganhou do artista Romero Britto, e Schwarzenegger até fez o gesto símbolo da campanha do prefeito de São Paulo. Schwarzenegger está em São Paulo desde sexta-feira (21), quando veio divulgar a feira de fitness Arnold Classic. No evento, o “Exterminador” revelou que quer dar uma volta de bicicleta pela capital paulista. “Eu vi muito pouco e São Paulo, só vi alguns bairros e alguns arranha-céus. Eu estou num ótimo hotel… Mas como sempre faço [quando viajo], saio com a minha bicicleta e dou uma volta. É muito bom para ver a cidade, e eu espero pode fazer isso [em São Paulo]”, afirmou. No domingo, Schwarzenegger andou de bicicleta na Avenida Engenheiro Luis Carlos Berrini até o Parque do Povo, na Zona Sul de São Paulo.

 

Arnold Schwarzenegger pedala por ciclovia da avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini (Foto: Rodrigo Dod/Savaget)

Arnold Schwarzenegger pedala por ciclovia da avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini (Foto: Rodrigo Dod/Savaget)

A declaração foi dada um dia após a Prefeitura divulgar que quer reformular a malha cicloviária da cidade e substituir algumas ciclovias, como a da Rua Consolação, por rotas alternativas compartilhadas com carros. Schwarzenegger disse na sexta-feira estar feliz por estar no Brasil e afirmou ter ganhado “milhões de dólares” por causa do esporte. “Realmente estou entusiasmado. O esporte me deu tudo, ganhei seis vezes o mister América, me tornei astro de Hollywood por isso. Ganhei milhões de dólares por causa do esporte. Hoje fico feliz em envolver crianças com meu esporte”, disse.

Em um dia, Grande Fortaleza tem 22 ataques a ônibus e tiros contra delegacias

21 abril 2017 | 2:29

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Fortaleza e região metropolitana registraram 22 incêndios contra ônibus entre as tardes desta quarta (19) e quinta-feira (20). De acordo com o G1, três delegacias e um banco foram alvos de tiros durante a noite e a madrugada. A polícia local suspeita que os ataques estão são motivados pela transferência de presos e mudanças nos presídios locais. Oito pessoas já foram presas suspeitas de envolvimento nas ações criminosas contra os coletivos. Um motorista e um cobrador ficaram feridos por conta dos incêndios. Nesta quarta, o transporte de ônibus chegou a ser interrompido na capital cearense, mas foi retomado durante a noite com reforço da Polícia Militar. Apesar dos novos incêndios, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindionibus) ainda não prevê uma nova paralisação. Entre as delegacias atacadas, duas foram atingidas com disparos de arma de fogo. Os criminosos quebraram vidraças com os tiros e conseguiram fugir. Na terceira, um carro apreendido que estava no pátio da unidade policial foi incendiado. Uma agência bancária da Caixa Econômica Federal também foi atingida por tiros durante a noite desta quarta.

Treze baianos foram contra lei das terceirizações e 19 votaram a favor; veja lista

23 março 2017 | 13:01

Dirigente sindical, Bebeto não votou | Foto: Antonio Augusto / Ag. Câmara

Dirigente sindical, Bebeto não votou | Foto: Antonio Augusto / Ag. Câmara

A aprovação da lei que permite a terceirização em atividades-fim das empresas, na noite desta quarta-feira (22), teve 13 votos contrários de deputados federais baianos, porém os parlamentares que aprovaram a alteração na legislação foram maioria: 19 no total. O deputado Pastor Luciano (PRB) se absteve e outros seis não participaram da sessão nesta quarta. Apenas deputados de oposição ao governo Michel Temer (PMDB) foram contra o projeto: Afonso Florence (PT), Alice Portugal (PCdoB), Bacelar (PTN), Caetano (PT), Daniel Almeida (PCdoB), Davidson Magalhães (PCdoB), Félix Mendonça Júnior (PDT), Irmão Lázaro (PSC), Nelson Pellegrino (PT), Robinson Almeida (PT), Valmir Assunção (PT) e Waldenor Pereira (PT) – Uldurico Junior (PV), no entanto, foi contra, apesar de votar majoritariamente com o governo. Entre os favoráveis constam: Arthur Oliveira Maia (PPS), Benito Gama (PTB), Cacá Leão (PP), Claudio Cajado (DEM), Elmar Nascimento (DEM), João Carlos Bacelar (PR), João Gualberto (PSDB), José Carlos Aleluia (DEM), José Carlos Araújo (PR), José Nunes (PSD), José Rocha (PR), Jutahy Júnior (PSDB), Márcio Marinho (PRB), Mário Negromonte Jr. (PP), Paulo Azi (DEM), Paulo Magalhães (PSD), Roberto Britto (PP), Ronaldo Carletto (PP) e Sérgio Brito (PSD). Dos seis parlamentares faltosos, o deputado Bebeto (PSB), dirigente sindical ligado ao segmento da construção pesada, não participou da votação. Ainda estavam ausentes Tia Eron (PRB), Antônio Brito (PSD), Erivelton Santana (PEN), Jorge Solla (PT) e Lúcio Vieira Lima (PMDB).

Carne Fraca: Temer convoca reunião de emergência para discutir escândalo

18 março 2017 | 21:17

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Com a crise aberta pela Operação Carne Fraca, que deflagrou um esquema de corrupção envolvendo frigoríficos e fiscais agropecuários, o presidente Michel Temer convocou para o este domingo reuniões com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi; o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, e representantes de frigoríficos. Às 14 horas, Temer fará um primeiro encontro apenas com Maggi, no Palácio do Planalto. Em seguida, recebe também Pereira e os representantes dos frigoríficos. Nem a assessoria da Presidência nem do Ministério da Agricultura soube informar quem participa da reunião em nome do setor. O governo está preocupado com o impacto da operação nas exportações de carnes e outros produtos animais. Neste sábado, técnicos da Agricultura estão reunidos e preparam uma nota que será enviada a embaixadores de vários países. De acordo com a pasta, o texto deverá informar sobre a Operação Carne Fraca e esclarecer dúvidas já levantadas por outros países além de certificar de que o governo brasileiro está tomando todas as providências. Trump Também neste sábado, Temer falará por telefone com o presidente dos EUA, Donald Trump. O Planalto não informou o tema da conversa nem se a Operação Carne Fraca será abordada. Autoridades europeias também pediram explicações ao governo brasileiro sobre as investigações. O Ministério da Agricultura enviou neste sábado técnicos para Curitiba (PR) para reunir mais detalhes sobre a operação.

Confira abaixo as marcas mais conhecidas das duas maiores empresas brasileiras investigadas na operação.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Marcelo Odebrecht confirma caixa 2 para a chapa Dilma-Temer

2 março 2017 | 11:12

Foto: Lula Marques/AGPT

Foto: Lula Marques/AGPT

Marcelo Odebrecht, herdeiro e ex-presidente do grupo que leva seu sobrenome, disse nesta quarta-feira, dia 1º, em depoimento à Justiça Eleitoral, que 4/5 de um total de R$ 150 milhões destinados pelo grupo para a campanha da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer em 2014 foram por meio de caixa 2. Segundo relatos, ele afirmou que a petista tinha dimensão da contribuição e dos pagamentos, também feitos com recursos não registrados ao então marqueteiro do PT João Santana. A maior parte dos valores destinados ao marqueteiro, conforme Marcelo Odebrecht, era feita em espécie. O empreiteiro respondeu a todas as perguntas e apresentou documentos durante as quase quatro horas de depoimento à Justiça Eleitoral na ação movida pelo PSDB que pede a cassação da chapa reeleita. A audiência comandada pelo ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e relator da ação, Herman Benjamin, ocorreu na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, em Curitiba. Leia mais »

Senado aprova Alexandre de Moraes para o STF

22 fevereiro 2017 | 14:02

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O plenário do Senado aprovou por 55 votos a 13 a indicação de Alexandre de Moraes para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal. Com a morte de Teori Zavascki no acidente de avião em Paraty, Rio de Janeiro, no início do ano, o jurista e político brasileiro, que atuava como Ministro da Justiça, foi indicado pelo Presidente da República Michel Temer para assumir a cadeira do antigo ministro. Como ministro da Justiça, Moraes enfrentava uma crise na segurança pública do país, marcada por rebeliões, massacres e paralisações de policiais. Assumindo a cadeira vaga no STF, o político será o novo responsável por revisar 7,5 mil processos comandados por Teori, contudo, não será o relator da Lava-Jato, sendo esta vaga já ocupada por Edson Fachin. Ainda ontem Moraes foi submetido a uma sabatina da Comissão de Constituições e Justiça da Casa, onde foi aprovado com 19 votos favoráveis e 7 contrários. 

Tags:
Página 1 de 712...Última »

Enquete

  • O que você acha do nepotismo praticado pelos prefeitos em sua cidade?

    Veja o Resultado

    Carregando ... Carregando ...