Morre aos 88 anos a socialite Carmen Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro — Brumado VerdadeBrumado Verdade Morre aos 88 anos a socialite Carmen Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro — Brumado Verdade
MENU
Seja Bem-vindo! Hoje é Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Publicidade:
Publicidade:

Acessar
BLOG antigo


Nosso Whatsapp
77 99837-3618

Morre aos 88 anos a socialite Carmen Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro

4 dezembro 2017 | 12:04

Foto: Reprodução / Instagram

Uma das mais conhecidas socialites brasileiras, Carmen Mayrink Veiga, morreu na tarde deste domingo (03) aos 88 anos. Segundo informações do jornal O Globo, ela faleceu em casa no Rio de Janeiro, enquanto dormia – a causa da morte não foi divulgada. Sua filha, Antônia Frering, publicou uma foto antiga da mãe em suas redes sociais, acompanhada de uma legenda com um coração partido. Carmen Therezinha Solbiati nasceu em Pirajuí, no interior de São Paulo, era neta do Barão de Arari e sobrinha-neta do Barão de Araras, pelo lado materno. Seu pai, Enéas Solbiati, era um financista rico de São Paulo, que foi cônsul honorário do reino da Itália. Mais tarde, ela adotou o sobrenome do marido, o empresário Tony Mayrink Veiga, com quem se casou em 1956. O casal circulava nas altas rodas, sendo considerados “o casal mais chique da América do Sul” na Vogue americana, escolhidos pelo escritor e dramaturgo Truman Capote e pelas editora de moda Diana Vreeland e Anna Wintour. Carmen também era citada frequentemente entre as mulheres mais elegantes do Brasil, tendo sido retratada por artistas como Cândido Portinari, Andy Warhol e Di Cavalcanti e fotografada por Francesco Scavullo, Richard Avedon e Mario Testino. O rosto dela também aparece entre as caricaturas que ilustram o clipe da música “Imitation of life”, da banda R.E.M, no qual aparecem celebridades internacionais como Madonna, Demi Moore. Há quatro anos, Carmen se locomovia em uma cadeira de rodas – ela sofria de paraparesia espástica tropical, que resultou na limitação de seus movimentos. Ela se tornou ativista pela causa dos cadeirantes e conseguiu rampas de acesso para pessoas com deficiência e problemas de mobilidade em hotéis de luxo, como o Copacabana Palace, restaurantes e edifícios históricos, como o Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que ganhou um elevador panorâmico específico para cadeirantes inaugurado por ela.